Guia da Lipoaspiração: o que é, quem pode fazer e muito mais

Se livrar daquelas gordurinhas indesejadas é sonho de homens e mulheres e com a chegada do inverno, a lipoaspiração aparece como uma das cirurgias plásticas mais procuradas. Existem algumas dúvidas quanto a esse tipo de procedimento e alguns mitos surgiram ao longo dos anos. Por isso, conversamos com o cirurgião plástico Pablo Huber sobre o assunto com o objetivo de explicar para vocês tim-tim por tim-tim sobre o que é a lipoaspiração e o que esperar dela, caso esteja com vontade de fazer esse tipo de procedimento.

vibrolipo e lipoaspiração.

O que é a lipoaspiração?

Em primeiro lugar, é importante destacar que a lipoaspiração é um procedimento cirúrgico e isso significa que, como toda cirurgia, há a aplicação de anestesia e incisão no local a ser operado. Ela é indicada para aquelas pessoas que têm acúmulo de gordura localizada, e não para os casos de obesidade que exigem outros cuidados e tratamento específico. Com a lipoaspiração, a pessoa consegue retirar esse acúmulo de gordura em áreas específicas e consegue um melhor contorno corporal.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica determina um limite de segurança para a retirada de gordura do paciente, sendo de apenas 7% do peso corporal e não podendo se passar disso.

mapa da lipoaspiraçao

Quem está apto a fazer?

O Conselho Federal de Medicina especifica que a lipoaspiração é uma cirurgia de especialidade da cirurgia plástica e impõe a necessidade de formação cirúrgica ao médico. Sendo assim, apenas cirurgiões plásticos estão devidamente capacitados para realizar esse tipo de procedimento de forma segura.

“É importante salientar esse ponto, pois os riscos à vida do paciente se tornam reais quando esse tipo de procedimento não é realizado por um especialista e dentro de um ambiente hospitalar seguro. Muitos dos problemas vistos ao se realizarem a lipoaspiração estão no fato de outros profissionais não capacitados estarem realizando a cirurgia, sem o conhecimento adequado”, explica Pablo.

Um modo bem simples e eficaz de comprovar a especialização do médico é conferir se ele faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Como é feita a lipoaspiração?

Para início do procedimento, é feita uma pequena incisão na pele para a entrada da cânula. No local, é injetado com um tipo de agulha com ponta romba (não cortante) uma solução composta por um tipo de soro fisiológico – que ajuda a aumentar o volume da gordura, adrenalina – para redução do sangramento, e um anestésico local para não haver dor.

Após a solução injetada agir no local, o cirurgião introduz uma cânula para a aspiração da gordura. Essa cânula é o que diferencia os diferentes tipos de lipoaspiração, sendo que de acordo com a escolha do médico, a técnica para a realização da aspiração pode mudar.

De acordo com o Dr. Pablo, a gordura retirada da lipoaspiração pode ser preparada e utilizada para injeção de gordura nos glúteos. Esse procedimento normalmente acontece quando o paciente deseja aumentar o volume dos glúteos e em paralelo com a lipoaspiração. Para obter-se um resultado adequado, esse procedimento também deve ser feito por um especialista e em ambiente hospitalar.

Lipoaspiração Tradicional X Vibrolipo

A escolha da cânula é o principal diferencial para o tipo de lipoaspiração a ser realizada. Os procedimentos tradicionais fazem uso de uma cânula simples para aspiração da gordura, já na vibrolipo a cânula possui um mecanismo de vibração que facilita a penetração e retirada da gordura.

Na vibrolipo, os movimentos vibratórios facilitam a penetração no local da cirurgia, fazendo com que seja menor o esforço possibilitando que a gordura saia com menos trauma para a região. “Essa é a técnica utilizada em nossos procedimentos de lipoaspiração, pois devido ao menor trauma na região, há menor sangramento e também uma recuperação mais rápida para o paciente”, explica.

Como é o pós-operatório?

A lipoaspiração tem um pós-operatório que varia de paciente para paciente, mas em termos gerais, após o procedimento há edemas (inchaço) e equimoses (manchas roxas) na região em que houve a retirada de gordura. Em média, esses sintomas se resolvem sozinhos em até 21 dias, dependendo do caso.

É recomendado que o paciente também use uma cinta elástica por aproximadamente um mês e meio. A drenagem linfática e ultrassom também são importantes a partir do sétimo dia da cirurgia, pois ajudam a acelerar a recuperação, reduzir o inchaço e endurecimento.

É importante lembrar que na hora de decidir por uma cirurgia plástica, você precisa conversar com seu cirurgião para tirar qualquer dúvida que ainda reste. Ir para o centro cirúrgico com dúvidas pode ser muito prejudicial, e pior, não confiar no profissional que irá realizar o procedimento pode colocar em risco sua saúde. Marque sempre uma consulta e converse com seu médico.

O Dr Pablo Huber atende na Av. Silva Jardim, 3888, Curitiba/PR e os contatos são: telefone (41) 3095-2791 ou Whatsapp (41) 9186-2791.


Você vai querer ver esses também!

Publicitária, blogueira, empresária, mãe, mulher, irmã, filha, dona de casa. Mais? Clique na bio e conheça um pouco mais de mim. Beijos.