O que uma blogueira(o) e/ou Youtuber?

Esses dias me deparei com uma situação um tanto quanto intrigante. Me questionaram quanto, em %, eu revertia em venda as publicações?!  Na hora fiquei meio com uma ? na testa pensando: “essa pessoa não sabe o que ser blogueira (o)!” E ai, surgiu a ideia de fazer um post falando sobre o que é ser um BLOGGER para que as pessoas tenham um pouco mais de conhecimento e informação (pelo menos as que me seguem), visto que é uma PROFISSÃO um pouco nova no mercado (pelo menos com esse nome… porque na verdade ela existe já faz tempo).

Profissão blogueira e youtuber

O termo blogueiro é descrito nos dicionários como: “aquele que escreve em blogs”, “usuário de blog”, “sujeito que cria, possui autoria ou escreve em algum blog”. Entretanto, com a internet, muitas profissões surgiram, entre elas a de Blogueira (o) e os Digital Influencers1. Hoje, você pode publicar artigos em blogs de grande relevância e ganhar por isso. Seja como o dono do blog, que ganha com publicidade, ou como um colaborador, que, em média, ganha por produtividade.

No (meu) caso de uma blogueira de moda e de beleza, o papel dela quando é paga para divulgar looks, marcas ou produtos ou o que quer que seja, é o de criar o desejo em seu público, a fim de que esse desejo seja tamanho que ele queira obter aquela peça ou objeto. A lógica é: o público que segue uma blogger, segue porque se identifica com ela (hábitos, personalidade, gostos, lifestyle…), portanto, qualquer coisa que se diga/mostre num blog ou rede social é quase sempre internalizado pelo seguidor/ público dessa blogger.

A blogueira pode falar de uma tendência e ensinar como os mais variados tipos e formas de corpo usar tal tendência/look. Ela pode quebrar o mito (com exemplos e fotos) que tal produto é só para pessoas mais velhas, ou só para altas e magras, ou só para baixinhas…enfim… ela estuda sobre a dica ou tendência que vai passar, testa o produto do qual vai falar, para que as pessoas que a sigam consigam assimilar a ideia, a tendência ou o produto em questão.

Blogueira, atriz, artista, modelo… Não são vendedoras.

Vendedores são as pessoas que entregam um produto ao consumidor final. Até esse processo acontecer existe um enorme processo. O trabalho desses influencers (quaisquer que sejam, independente de área, sexo ou continente) é o de estimular a venda, o que pode não acontecer de imediato e sim depois de um médio prazo. A partir do momento em que isso aconteceu (criou-se o desejo do produto) a bola foi jogada para o vendedor/loja.

Em redes sociais, então, isso é delicadíssimo! Você divulga para seus seguidores, faz seu trabalho com qualidade, paga um bom fotografo, estuda sobre o que vai ser divulgado, fala da marca/produto e o que acontece: a rede social do seu cliente não é atraente, não é atualizado com freqüência, não tem boa qualidade de fotos e a marca vem e cobra de você que não vendeu e não ganhou sequer seguidores. Isso é muito delicado!

Da mesma forma que ja trabalhei com marcas que ao fazer um publi2, a loja/marca vendeu mais rápido que o esperado e ai entra: um bom trabalho deles nas redes sociais com qualidade de fotos e textos, bom atendimento, ter a peça para venda em vários tamanhos… e vários outros pontos que devem ser levando com consideração.

Um exemplo meu: já recusei trabalho por conta do cliente nao ter um instagram que atrairia meu público, ou seja, eu divulgaria em minhas redes sociais com a maior qualidade possível de trabalho e meu seguidor iria ao instagram do cliente e sequer seguiria, pois não tinha qualidade, fotos ruins, desatualizado…

Outros problemas que não geram a venda:

“Divulgamos a loja/marca/produto e meu seguidor vai ao instagram do cliente, pergunta sobre a peça (valor, cor, tamanho, como comprar…) e não obtém retorno algum ou divulgamos a loja/marca/produto e o seguidor/leitor vai à loja e é pessimamente atendido e resolve não comprar.” São fatores que fogem do nosso controle e que alguns anunciantes não levam em consideração.

Ou seja, não existe garantia de que você “venderá” o produto que está divulgando porque isso definitivamente não depende 100% de você. Podemos garantir que estamos estimulando a venda (com os dados e histórico que temos), mas a venda final depende muito mais do cliente do que do influenciador.

Se blogueira/atriz/modelo/artista fosse um vendedor, todos os problemas das concessionárias, construtoras e outras empresas que estão em plena crise venderiam tudo ao colocar uma propaganda no horário do fantástico (maior audiência da televisão brasileira) ou em qualquer outro horário nobre.

Propagamos em redes sociais da mesma forma que veículos tradicionais propagam, com diferença que o preço dessa divulgação é muito menor do que uma divulgação em revista conceituada ou uma inserção em tv. Assim como o alcance da publicação também não é a mesma. Ser blogueiro dá trabalho. É preciso muita pesquisa e um conhecimento muito bom sobre o que se pretende blogar. Quanto mais você entende do assunto, mais você será cobrado sobre ele.

profissão blogueira e youtuber

Então, o que sempre procuro deixar claro aos anunciantes e pessoas que desconhecem o verdadeiro sentido de ser blogueira (o): não somos portal, somos um blog e expomos nossas ideias, conhecimentos, experiências e não somos vendedores –> somos divulgadores e isso procuro fazer com muita qualidade com quem anuncia comigo, sempre dando ideias do que pode ser feito para que as pessoas conheçam melhor a marca/produto e se identifiquem com ele. Criamos uma identidade com o produto e trabalhamos a consolidação da marca/produto junto aos leitores/seguidores.

Beijos.

 


  1. Digital inlfuencers são influenciadores em redes sociais não necessariamente blogueiros e youtubers, podendo ser modelos, atrizes, jogadores de futebol, filho de famoso ou pessoa com muito seguidores em suas mídias digitais.

  2. Publi são publicidades ou posts patrocinados dentro dos blogs e/ou redes sociais.


Você vai querer ver esses também!

Publicitária, blogueira, empresária, mãe, mulher, irmã, filha, dona de casa. Mais? Clique na bio e conheça um pouco mais de mim. Beijos.